Paulo Adeodato | PUBTechSF@Berkeley 2018

Paulo Adeodato é Professor do Centro de Informática da UFPE e Professor Visitante do Department of Anesthesia da Stanford School of Medicine, e apresentará sua palestra sobre “Como a Inteligência Artificial pode integrar academia, negócios e governo para o bem da coletividade?” no PUBTechSF@Berkeley 2018.

O PUBTechSF@Berkeley 2018 acontecerá no dia 19 de setembro de 2018, das 6 às 9 pm. Para participar inscreva-se aqui: https://pubtechsf-berkeley-2018.eventbrite.com

 

Como a Inteligência Artificial pode integrar academia, negócios e governo para o bem da coletividade?

Sobre o vasto tema, o palestrante apresenta aspectos e visões amadurecidos ao longo de mais de 20 anos de pesquisador-empreendedor. Se você acha que precisa entender o que é Deep Learning, Big Data Analytics etc., para ter melhor desempenho profissional, esqueça! Paulo vai desmistificar alguns (pré)conceitos e mostrar como já contribuiu para a ciência em finanças, telecom, navegação marítima, direito, entretenimento, administração e, atualmente, em saúde e educação em Stanford. Ao final, você sairá com uma visão bem mais clara sobre como a Inteligência Artificial pode ajudar no seu trabalho.

Paulo tem 36 anos de experiência profissional combinando indústria, academia e empreendedorismo.

É professor do Centro de Informática–UFPE há 20 anos engajado em Decision Support Systems. Depois de 3 meses como visiting scholar do CERAS-Stanford em 2017, Paulo retornou como visiting professor da Stanford School of Medicine em 2018.

Paulo é bacharel em Electrônica (1982), especialista em Engenharia de Produção (1989) e mestre em Informática (1991) pela UFPE e PhD in Mathematics (1997) pelo King´s College London, atuando em Inteligência Artificial há 30 anos.

Pioneiro no Brasil, Paulo criou o primeiro curso de Data Mining do país, orientou 9 doutorados e 19 mestrados. Também, desenvolveu mais de 400 soluções de data mining tendo umas 100 implantadas em empresas. Voltado para inovação, Paulo participou de mais de 10 projetos científicos fomentados, sendo dois recentes de cooperação com o Canadá e Europa.

Paulo é fundador e sócio da NeuroTech tendo coordenado a sua inovação e estratégia (1998-2013) até o investimento de um fundo private-equity adquirir o controle da empresa. Paulo é co-fundador e associado do CESAR (1996) e criou a AI-Leader (hoje, da Stefanini) em 2002, tendo se tornado “serial entrepreneur”.

Ele é membro do Comitê Estratégico de TI da AmCham-PE, de Comitês do Programa TECNOVA de fomento à Inovação e foi membro do IEEE Industry Liaison Committee (2015-17) e Industry Liaison Chair do WCCI 2018. Também, foi convidado para palestrar sobre inovação em universidades brasileiras, na fundação da Singularity University-Chapter Curitiba (2018) e no IEEE no Silicon Valley (2015).

Daniel Haanwinckel | PUBTechSF@Berkeley 2018

O Daniel Haanwinckel será um dos palestrantes no PUBTechSF@Berkeley 2018, que acontecerá no próximo dia 19 de setembro no BIDS, UC Berkeley.
O Daniel é doutorando no Departamento de Economia da UC Berkeley e o título de sua palestra é: Por que a desigualdade tem caído no Brasil e aumentado nos EUA?
Para participar, inscreva-se aqui: https://pubtechsf-berkeley-2018.eventbrite.com
O que determina diferenças de salários entre trabalhadores, e por que estas diferenças mudam ao longo do tempo? As principais causas estudadas por economistas são níveis educacionais, mudanças tecnológicas e políticas como o salário mínimo. Pesquisas mais recentes revelam que diferenças salariais entre empresas também são importantes e estão associadas a aumentos na desigualdade em países como os EUA e Alemanha. Esta palestra mostra o que tem ocorrido no Brasil e apresenta uma nova abordagem teórica que inclui o papel das empresas no modelo tradicional de determinação de salários.
Daniel Haanwinckel é doutorando em Economia no Departamento de Economia da UC Berkeley, mestre em economia pela PUC-Rio de Janeiro e engenheiro de controle e automação pela Unicamp. Sua pesquisa busca entender os fatores que determinam desigualdade salarial, desemprego e informalidade. Antes de entrar na academia, Daniel foi trader de derivativos no Espirito Santo Investment Bank, em São Paulo e Nova Iorque.

Leonardo Barbosa e Oliveira | PUBTechSF@Stanford 2018

Leonardo B. Oliveira é professor da UFMG e Visiting Scholar em Stanford, e apresentará sua palestra “Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: Deixando para Trás o Complexo de Vira-lata!” no PUBTechSF@Stanford 2018, que acontecerá no dia 27 de junho em Stanford.

Para participar, reserve seu lugar: https://pubtechsf-stanford-2018.eventbrite.com

 

Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: Deixando para Trás o Complexo de Vira-lata!
A produção científica no país é pobre? Não há mecanismos que induzem a colaboração entre universidade e indústria? A universidade pública está sucateada? Essas e outras questões são comumente aventadas no âmbito da Ciência, Tecnologia e Inovação Brasileiras. O objetivo desta palestra é apresentar um panorama otimista sobre o futuro da CT&I no Brasil. Precisamente, este panorama será fundamentado por estatísticas independentes, novas ações do Estado e casos reais.

Leonardo Barbosa e Oliveira é professor de Ciência da Computação da UFMG, professor Visitante Associado de Ciência da Computação da Universidade de Stanford e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. É membro da unidade DCC/UFMG da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), inventor de um mecanismo de autenticação para a Internet das Coisas (USPTO P No. 20170214529A1) e recebeu o prêmio IEEE Young Professional Award. Coordenou projetos financiados por centros de pesquisa como Intel Labs, Microsoft Research e LG Mobile Research. Foi sócio da Elabora, uma startup de Inovação Tecnológica, membro do Grupo de Estudos sobre a Organização da Pesquisa e Inovação da Unicamp (GEOPI) e assessor do comitê de avaliação do programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE/FAPESP). Mentorou equipes no UFMG Challenge, possui mais de duas mil citações e focaliza Internet das Coisas, Cibersegurança e Inovação Transdisciplinar.

Monica M. Kangussu-Marcolino | PUBTechSF@Stanford 2018

A Monica Kangussu-Marcolino é pesquisadora na Stanford School of Medicine e vai apresentar a palestra “Desenvolvimento de fármacos na Academia, um desafio em Stanford e uma inspiração para o Brasil” no PUBTechSF@Stanford 2018, que acontecerá no dia 27 de junho a partir de 6 pm na Stanford.

Reserve já o seu lugar: https://pubtechsf-stanford-2018.eventbrite.com

Desenvolvimento de fármacos na Academia, um desafio em Stanford e uma inspiração para o Brasil

Formada em Farmácia pela UEM (Universidade Estadual de Maringá), fez mestrado e doutorado em Bioquímica e Biologia Molecular na UFPR (Universidade Federal do Paraná), estudando primeiro atividade leishmanicida de polisacarídeos e depois genômica funcional em Trypanosomatídeos. Fez pós-doutorado em Harvard School of Public Health, investigando a manutenção e crescimento do parasita T. cruziem cardiomiócitos derivados de células pluripotentes (iPSC).

Atualmente na Stanford School of Medicine, trabalha com descoberta e desenvolvimento de drogas contra doenças parasitárias e biologia molecular de parasitas. No projeto atual, usa triagem em larga escala de compostos conhecidos ou já aprovados pelo FDA contra Entamoeba histolytica e outras amebas de vida livre a fim de encontrar candidatos para o desenvolvimento de fármacos.

Também tem interesse em inspirar pessoas no Brasil a darem direcionamentos mais eficientes a projetos com potencial translacional. Com apoio do grupo SPARK Stanford, desenvolveu e ministrou o Curso de Desenvolvimento de Fármacos, uma introdução a iniciativa SPARK de ciência translacional na UEM, UFPR e na indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi.

José Armando Valente | PUBTechSF@UCSF 2018

José Armando Valente é professor da UNICAMP e Visiting Scholar em Stanford, e apresentará sua palestra sobre o “Pensamento Computacional e o Vale do Silício” no PUBTechSF@UCSF 2018, que acontecerá no dia 22 de fevereiro em SF.

Para participar, reserve seu lugar: https://pubtechsf-ucsf-2018.eventbrite.com

 

O Pensamento Computacional e o Vale do Silício
José Armando Valente

O pensamento computacional é para todos? O que ele acrescenta?
A ciência da computação deve substituir a tradicional disciplina de matemática?
O uso das tecnologias digitais realmente muda nossa maneira de pensar?

A expressão “pensamento computacional” tem sido amplamente utilizada nos últimos anos, particularmente após a publicação do viewpoint de autoria de Jeannette M. Wing na Revista Communications da ACM, no qual a pesquisadora o define como uma “(…) atitude e habilidade universalmente aplicáveis que todos, não apenas os cientistas da computação, estariam ansiosos por aprender e usar”.

O objetivo do encontro é refletir sobre as implicações que essa visão tem provocado na educação, como mudanças no currículo e nas políticas de uso das tecnologias digitais na educação; sobre o papel que as empresas, as universidades e os pesquisadores do Vale do Silício têm desempenhado na disseminação e implementação das ideias do pensamento computacional; e sobre como as ideias do pensamento computacional estão sendo interpretadas pelos participantes do PUBTechSF que trabalham e atuam no mundo das tecnologias digitais.

José Armando Valente é Doutor pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) e Livre Docente pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Professor Titular do Departamento de Multimeios, Mídia e Comunicação do Instituto de Artes, e pesquisador do Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIED, UNICAMP). Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. Atualmente é professor visitante do Centro Lemann de Empreendedorismo Educacional e Inovação, Stanford University. Interesse: uso de tecnologias digitais na educação, metodologias ativas e desenvolvimento do pensamento computacional.

Carolina Reis | PUBTechSF@UCSF 2018

A Carolina Reis é CEO e fundadora da OneSkin Technologies e vai apresentar a palestra “Desvendando o código do envelhecimento” no PUBTechSF@UCSF 2018, que acontecerá no dia 22 de fevereiro a partir de 6 pm na UCSF Mission Bay.

Reserve já o seu lugar: https://pubtechsf-ucsf-2018.eventbrite.com

 

Desvendando o código do envelhecimento

O envelhecimento é o principal fator de risco para várias doenças crônicas inflamatórias e cancer. Além disso, o envelhecimento representa um fenômeno de fundamento epigenético. Uma vez que o perfil epigenético pode ser correlacionado com a idade, é possível desenvolver ferramentas para medir e reproduzir o envelhecimento in vitro. Isso também permite identificar e validar produtos capazes de reverter o envelhecimento ou rejuvenescer o tecido.

A proposta da OneSkin se baseia exatamente em entender um pouco mais do “código do envelhecimento” a fim de reproduzir esse processo utilizando tecidos humanos no laboratório e finalmente identificar moléculas capazes de efetivamente reverter o envelhecimento, focando inicialmente na pele.

 

Carolina Reis é fundadora e empreendedora em biotecnologia. Possui graduação em Bioquímica e PhD em Biologia de Células Tronco e Engenharia de Tecidos. Após mais de 10 anos atuando em pesquisa básica na academia, Carolina tem buscado promover a translação da ciência básica para desenvolver produtos que melhorem a qualidade de vida das pessoas. Seu principal objetivo é revolucionar o mercado de anti-envelhecimento, identificando substâncias capazes de reverter o envelhecimento da pele, com efeitos comprovados em modelos de pele 3D.

 

Elisa de Paula Franca Resende | PUBTechSF @Vale do Silício 2017

A Elisa de Paula Franca Resende será uma das palestrantes no PUBTechSF@ Vale do Silício 2017, apresentando seu trabalho entitulado “Educação e Memória – A Importância do Ensino Básico”, que ela desenvolve como Fellow no programa Global Brain Health Institute, na Universidade da Califórnia em São Francisco.
Para participar do PUBTechSF @Vale do Silício, inscreva-se em: https://pubtechsf-sv-2017.eventbrite.com
Elisa de Paula França Resende é neurologista formada pelo Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Especialista em Neurologia Cognitiva e do Comportamento e Movimentos Anormais pelo mesmo hospital, mestre em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto e doutoranda em Neurociências pela UFMG.
Atualmente é Fellow no programa Global Brain Health Institute, na Universidade da Califórnia em São Francisco.
Sua principal área de atuação consiste em investigar fatores relacionados ao funcionamento cerebral e correlatos neurais de memória nos idosos. O foco da sua pesquisa é no entendimento de como fatores ambientais como nível educacional podem interferir no processamento de memória e no desenvolvimento de possíveis mecanismos de prevenção do declínio cognitivo em idosos.

Paulo Monteiro | PUBTechSF@Berkeley 2017

O Prof. Paulo J.M. Monteiro, do Departamento de Engenharia Civil e de Meio Ambiente na Universidade da Califórnia em Berkeley será um dos palestrante no PUBTechSF@Berkeley 2017, que acontecerá no dia 13 de setembro de 2017 a partir de 6 pm no BIDS, UC Berkeley.

Para participar, inscreva-se aqui!

 

Visualização de materiais em alta resolução: da tomografia à nanotomografia

O nosso grupo de pesquisa tem utilizado o síncrotron para caracterizar e otimizar a micro e nano-estrutura de materiais de construção. Como a nossa missão mais recente é reduzir o impacto ambiental do concreto, esse material será enfatizado. Discutiremos como as imagens tomográficas tridimensionais têm dado um novo entendimento da estrutura complexa existente nos materiais compósitos e como esse entendimento pode ser utilizado para melhorar o desempenho quando utilizados em estruturas. A apresentação também irá descrever os novos avanços para obter imagens com raios-X tendo resolução espacial de 1 nm.

Paulo Monteiro é o Roy W. Carlson Distinguished Professor no Departamento de Engenharia Civil e de Meio Ambiente na U.C. Berkeley. Ele publicou mais de 250 artigos indexados e é o co-autor de um livro texto sobre concreto que é usado internacionalmente e foi traduzido para o japonês, português, chinês, grego, espanhol e persa. Pela sua pesquisa recebeu os seguintes prêmios: Premio Ari Torres, Brunauer Award (2 veze) e Wason Medal for Materials Research.

 

Daniela Thomazella | PUBTechSF@SF 2017

A Daniela Thomazella é cientista e pós-doutoranda na UC Berkeley e será uma palestrante no PUBTechSF@SF 2017. O título da palestra da Daniela é “Biotecnologia: expandindo as possibilidades para o melhoramento de plantas”.

O PUBTechSF@SF2017 acontecerá no dia 25 de maio de 2017 em San Francisco.

Reserve seu lugar: https://pubtechsf-sf-2017.eventbrite.com

 

Biotecnologia: expandindo as possibilidades para o melhoramento de plantas
Microorganismos patogênicos ocasionam sérias perdas de produção em culturas de todo o mundo e podem ser considerados um dos problemas mais desafiadores da agricultura. O desenvolvimento de resistência a doenças baseado nos métodos clássicos de melhoramento de plantas através de cruzamentos é muitas vezes laborioso e pouco eficiente, dificultando assim, o melhoramento eficiente de muitas culturas agrícolas. Os avanços recentes da biotecnologia, em particular, o desenvolvimento de uma nova ferramenta para edição de genomas denominada CRISPR/Cas9, trouxeram alternativas aos métodos clássicos de melhoramento e têm o potencial de permitir uma produção suficiente e sustentável de alimentos. Meu trabalho de pós-doutorado tem como objetivo o desenvolvimento de resistência a doenças em importantes culturas agrícolas, como o tomate, o cacau e a mandioca. Nesta palestra, eu apresentarei os resultados obtidos na cultura do tomate. Nós utilizamos a tecnologia CRISPR/Cas9 para realizar pequenas alterações em regiões genômicas do tomate associadas à resistência a doenças e, em um período de apenas quatro meses, obtivemos plantas que apresentam amplo espectro de resistência a patógenos economicamente importantes, incluindo diferentes espécies de bactérias e fungos. No momento, estamos realizando caracterizações a nível molecular e metabólico destas variedades resistentes de tomate, e também avaliando a performance e resistência das variedades em campos experimentais na Flórida.

Daniela possui graduação em Ciências Biológicas (2005) e Doutorado em Genética e Biologia Molecular (2010) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente, é Pew Latin American Fellow e realiza seu pós-doutorado na Universidade da Califórnia em Berkeley, junto ao grupo do Dr. Brian Staskawicz. Seu projeto de pesquisa envolve a caracterização e desenvolvimento de mecanismos de resistência a doenças em plantas de interesse agrícola, com enfoque nas culturas do tomate, cacau e mandioca.

Stephano Mello | PUBTechSF@Stanford 2017

O Stephano Mello é cientista na Stanford e será um palestrante no PUBTechSF@Stanford 2017. O título da palestra do Stephano é “Estudo do câncer na era genômica: desvendando os mistérios do gene p53”.

O PUBTechSF@Stanford 2017 será no dia 15 de março, no CERAS em Stanford.

Para reservar seu lugar, inscreva-se aqui!

Stephano Mello é cientista do Departamento de Radiação Oncológica da Universidade de Stanford desde 2010. Stephano obteve o seu Mestrado e Doutorado em Genética pela Universidade de São Paulo, onde ele estudou os efeitos de doses baixas de radiação ionizante em células humanas in vitro e em profissionais da saúde expostos à radiação. Nos últimos anos, Stephano tem utilizado uma variedade de técnicas genômicas para entender o papel do gene supressor de tumor p53 no desenvolvimento de câncer, gerando informação diretamente relevante para o desenvolvimento de novas estratégias para a detecção e tratamento do câncer.

 

Estudo do câncer na era genômica: desvendando os mistérios do gene p53
A genômica revolucionou a medicina moderna e a maneira como entendemos e tratamos câncer. Com o uso de novas ferramentas, estamos finalmente desvendando os segredos de um notável gene chamado p53. Conhecido como o “guardião do genoma”, sua função é nos proteger do câncer, evitando que erros se propaguem e ameacem a homeostase celular. O desenvolvimento do câncer raramente ocorre sem que existam mutações em p53, fato que demonstra a importância desse gene na supressão tumoral. Ao entrarmos na era do tratamento personalizado, p53 se encontra na vanguarda da terapia do câncer e o entendimento de sua função e dos mecanismos controlados por ele é essencial para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas.