Jean Paul Jacob | Meetup inaugural do PUBTechSF

Prof. Jean Paul Jacob falou sobre “O Futuro já não é o que era!” no encontro inaugural do PUBTechSF no Consulado do Brasil em SF.

Jean Paul Jacob is a Brazilian electronic engineer, researcher and professor. He received his electronic engineering degree from the Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) and his MS and PhD degrees in Mathematics and Engineering from the University of California, at Berkeley, in 1966.

He worked in France in industrial and academic research laboratories in Systems and Control, and then at the IBM Nordic Laboratory, in Stockholm. In 1963, he was assigned to the San José IBM Research Laboratory in California, now the Almaden IBM Research Laboratory. He was then involved in developing high level simulations of a space laboratory for NASA.

In 1969, he resumed his academic career at USP, ITA and UFRJ. He created the Systems Department at UFRJ and the first IBM Scientific Center of South America, as well as an Institute for Software Engineering (1980).

For many years he was the IBM research manager at the IBM Almaden Research Center, in California, while also a Visiting Scholar at Stanford and Berkeley, having taken one year sabbaticals from IBM Research at Stanford and twice at Berkeley. He retired from IBM in October 2002, but returned as a researcher Emeritus, a position he still holds.

Jean Paul has received over 50 awards during his career, among them the 1992 Distinguished Alumnus Award in Computer Science and Engineering and the University of California Research Leadership Award in 2003, both from UC Berkeley. Dr. Jacob is an elected member of the IBM Academy of Technology.

Dr. Jacob was heavily involved in the creation of the Center for Information Technology Research in the Interest of Society (CITRIS) at the University of California, as representative of the first Founding Member of CITRIS, namely IBM, in 2000. Since then he has organized yearly workshops in different areas, including nanotechnology, energy and services, between UC Berkeley, CITRIS, and IBM. He was also an annual speaker for the Management of Technology (MOT) interdisciplinary program at UC Berkeley.

Saiba mais no grupo “Amigos do Jean Paul Jacob”, organizado por seus amigos: https://www.facebook.com/groups/jeanpauljacob/

Lea Grinberg | Meetup inaugural do PUBTechSF

O título do seminário da Profa. Lea Grinberg foi “Integrando novas e antigas tecnologias para desvendar a doença de Alzheimer“, no encontro inaugural do PUBTechSF no Consulado do Brasil em SF.

Lea Grinberg is a neuropathologist specializing in brain aging and  associated disorders. She received her MD and PhD degrees in São Paulo, Brazil. In 2003, along with colleagues from several disciplines, she founded a brain bank in São Paulo, Brazil, which has developed into an extremely prolific and highly regarded institution. Her PhD work was focused in the neuropathology of frontotemporal lobar degeneration (FTLD-TDP). From 2007 to 2009, Dr. Grinberg acquired expertise in neuroanatomy and in the use of state-of-the-art methods for tridimensional brain reconstruction at the University of Würzburg, Germany. This knowledge is being utilized in several projects, including an NIH funded study in which the overarching goal is to provide an integrated picture of brainstem vulnerability in Alzheimer Disease and FTLD-TDP and to incorporate this understanding into their etiopathogenesis, testing the hypothesis that selected brainstem nuclei are interdependently and consistently involved in very early stages of AD and FTLD-TDP. Currently, Dr. Grinberg is an Assistant Professor at the UCSF Memory and Aging Center. In 2009, she was the recipient of the UNESCO-L’Oréal Award “For Women in Science” and in 2010 of the John Douglas French Alzheimer Foundation “Distinguished Research Scholar Award.” She is also the chairwoman of the HUPO Brain Proteome Project since 2013. Image courtesy of the Alzheimers Association.

Veja artigo com referência ao trabalho da Profa. Lea Grinberg no NYT:

Brain Trauma Extends Reach Into Soccer – Researchers Find Bellini, Star for Brazil, Had Brain Disease C.T.E.

Livia Schiavinato Eberlin | PUBTechSF @ Stanford

Livia Schiavinato Eberlin será uma das palestrantes convidadas no PUBTechSF@Stanford!

A segunda edição do PUBTechSF será no dia 02 de abril, em Stanford.

Para reservar seu lugar, inscreva-se aqui!

viewImage

Livia Schiavinato Eberlin se formou em Química pela UNICAMP e fez o seu Doutorado na Universidade de Purdue, sob a orientação do Prof. R. Graham Cooks. Ela iniciou o seu pós-doutorado em Stanford em 2012, no laboratório do Prof. Richard N. Zare. Sua tese foi selecionada como a melhor tese em Química dos EUA em 2012, e em reconhecimento Livia recebeu o prêmio “Nobel Laureate Signature Award”. Em 2014, Livia também foi selecionada para receber a L’Oreal USA for Women in Science Fellowship, e em 2015 foi listada como uma das “30 under 30” pesquisadoras em “healthcare” da revista Forbes.

Assista à palestra da Livia no canal do PUBTechSF no YouTube:  “Nova tecnologia de imageamento molecular para diagnóstico de câncer durante cirurgia”.

Tratamento cirúrgico é a principal terapia para os tumores sólidos, incluindo câncer de cérebro, próstata, pâncreas, estômago, e outros. Remoção completa do tecido canceroso durante cirurgia oferece o melhor prognóstico e possibilidade de sobrevivência para a maioria dos pacientes com tumores sólidos. Entretanto, uma grande dificuldade durante o processo cirúrgico e que define o succeso da cirurgia é a avaliação das margens do tecido a fim de que se garanta a remoção total do tecido canceroso. Esse processo, que é feito por um patologista durante o decorrer da cirurgia pode demorar até uma hora, e pode ser subjetivo devido aos artefatos na morfologia das células de câncer que ocorrem durante o processamento do tecido durante a cirurgia.

Durante o meu doutorado, eu desenvolvi uma tecnologia de imageamento baseada na técnica de espectrometria de massas, por meio da qual análise molecular de tecido canceroso humano é feita diretamente na amostra, em questão de segundos. Esse método químico permite que um diagnóstico seja obtido rapidamente e com alta precisão durante a cirurgia. Durante meu pós-doutorado, em parceria com estatísticos de Stanford, nós desenvolvemos algoritmos para a construção de modelos estatísticos permitindo classificação rápida e automática dos perfis moleculares. A tecnologia está atuamente sendo testada em vários hospitais nos EUA e acredito que no futuro próximo vá melhorar a forma pela qual câncer é diagnosticado e tratado no meio clínico.

 

https://profiles.stanford.edu/livia-schiavinato-eberlin

Ivan Paulino Lima | PUBTechSF @ Stanford

Ivan G. Paulino Lima é um dos palestrantes convidados do PUBTechSF@Stanford!

A segunda edição do PUBTechSF será no dia 02 de abril, em Stanford.

Para reservar seu lugar, inscreva-se aqui!

Foto Ivan Mojave_0

Ivan Lima é o primeiro biólogo brasileiro, formado no Brasil, a atuar na NASA. Desenvolve sua pesquisa de Pós-Doutorado no Centro de Pesquisa Ames, em Moffett Field (CA) com bolsa NASA Postdoctoral Program da Oak Ridge Associated Universities (NPP-ORAU). Graduado em ciências biológicas (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), obteve mestrado em genética e biologia molecular pela UEL com grau distinção, e doutorado em biofísica pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com estágio sanduíche na Open University (Grã-Bretanha). Ivan foi professor colaborador na UEL e participou de documentário científico produzido pela emissora japonesa NHK sobre exploração espacial e terraformação de Marte.

Assista à palestra do Ivan no encontro do PUBTechSF@Stanford: “Organismos extremófilos, biologia sintética e a exploração espacial”.

A descoberta de organismos adaptados a condições ambientais extremas, ou capazes de tolerar essas condições, tem aumentado a cada dia nossa compreensão sobre os limites da vida. Esse conhecimento naturalmente expande os locais fora da terra onde a vida pode existir. Atualmente as agências espaciais concentram esforços no desenvolvimento de missões com o intuito de detectar sinais de vida em outros locais do sistema solar e em exoplanetas. Paralelamente, os planos da NASA de enviar uma missão tripulada a Marte até a década de 2030 parecem cada vez mais reais. A biologia sintética, um empreendimento que visa à construção de sistemas e componentes biológicos que não existem na natureza, no sentido de solucionar problemas emergentes da indústria e da academia, deve exercer um papel crítico durante as missões interplanetárias tripuladas. O objetivo desta comunicação oral é apresentar uma breve introdução sobre esses 3 tópicos, mostrando dados recentes da minha pesquisa sobre micro-organismos resistentes à radiação no Centro de Pesquisas Ames da NASA.

https://earthscience.arc.nasa.gov/person/Ivan_G_Paulino_Lima

Veja aqui uma matéria sobre o trabalho do Ivan, publicado no dia 16/03/15 no periódico PNAS: http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/2015/03/17/o-catalogo-da-vida-extraterrestre/